Carregando...

(Pré-Venda) Para que leiam O capital: interpretações sobre o Livro I - Coleção NIEP MARX Volume VI

R$ 30,00
Código: 28
ISBN:
Ano:
Edição:
Organizador:

Descrição do produto

Atenção!
Este livro está na modalidade 'pré-venda' e sua publicação está prevista para o início de Maio. Aqueles que adquirirem o produto nesse momento serão os primeiros a recebê-lo quando estiver publicado.


'Para que leiam O capital: interpretações sobre o Livro I' é o sexto volume da Coleção NIEP Marx

Caro leitor, cara leitora, se você quer conhecer O capital, de Karl Marx, leia O capital. Dito isso, vocês devem estar se perguntando: por que raios esse sujeito escreveu uma “orelha” para um livro sobre aquela obra? Respondo: porque esse livro é um sensacional convite à leitura da obra de Marx. Uma janela aberta para a multiplicidade, a pluralidade e a profundidade das leituras possíveis (e atenta para a crítica das que não deveriam ser possíveis, mas estão por aí) de O capital.

Escrita por professora(e)s que, já há décadas discutem sobre Marx e seu livro mais importante, esta obra resgata mais de um século e meio de debates sobre O capital, mas vai além e acrescenta algumas contribuições relevantes e originais a esse longo debate. Assim, tanto o leitor ou a leitora que quer iniciar agora o estudo sistemático da obra de Marx, quanto o especialista acadêmico, mais experiente nesta leitura, tirarão grande proveito deste livro.

Aqui não faltarão interpretações instigantes sobre a teoria do valor, entendida como “em última instância, uma teoria sobre o capitalismo“. Uma teoria construída a partir de leis de tendência e determinações reconstituídas por Marx em diferentes níveis de abstração e elucidada através de categorias dela em dissociáveis, como as de fetichismo e exploração. Categorias estas sujeitas também a longas polêmicas sobre seu sentido próprio e peso relativo na obra de Marx. Como a própria categoria capital, e sua gênese, outro objeto de debates antigos e novos, que não faltou a esta discussão.

Da mesma forma, não falta a categoria luta de classes, presente tanto para discutir temas quentes no debate contemporâneo — como o da destruição ambiental —, Reafirmando-se a premissa revolucionária da crítica e da orientação política marxiana, quanto para nos lembrar que se a revolução é o objetivo, mesmo a luta mais imediata “do trabalho em negar O capitalpossui potencial transformador, pois “criar vínculos não alienados entre os trabalhadores no próprio movimento contra O capital“.

Se o método de Marx, que atravessa O capital, é pautado em uma crítica ontológica — que “sempre se direciona para a realidade, para o ser“ e, portanto, “a realidade é o critério da crítica“ —, essa crítica possui um sentido de classe, como o próprio Marx anuncia na segunda edição do Livro I (1873): “na medida em que tal crítica representa uma classe específica, ela só pode representar a classe cuja missão histórica é o revolucionamento do modo de produção capitalista e a abolição final das classes: o proletariado.” Ou, como ele retrucaria em uma entrevista poucos anos depois, quando perguntado se o objetivo final do socialismo seria a instalação do poder operário: “é a emancipação dos trabalhadores”!

Sem nunca perder de vista o papel da “crítica das armas”, O capital foi o ponto máximo da forma como Marx, representando tal projeto coletivo, empunhou a “arma da crítica”. Aceitemos o potente convite feito por esse livro, voltando à Marx, antes, durante e depois de sua leitura.”

Marcelo Badaró Mattos (UFF/NIEP-Marx)


O que é o NIEP-MARX?

O Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx) surgiu em 2003, da reunião de professores/pesquisadores das áreas de história, sociologia, economia, educação, serviço social e arquitetura, da Universidade Federal Fluminense. Originou-se de trabalho docente coletivo em articulação da Universidade com movimentos sociais, através da atuação no Curso de Extensão Realidade Brasileira, em convênio com o MST. Desde então busca manter a articulação entre docência, pesquisa e extensão com questões sociais, políticas e teóricas contemporâneas. O objetivo central do núcleo é produzir uma reflexão transdisciplinar a partir do materialismo histórico. Além da implantação de grupos regulares de estudos e pesquisas, o NIEP-Marx consolidou-se como espaço de articulação de pesquisa/ docência de profissionais de distintas áreas de conhecimento que compartilham referenciais teóricos de análise, agregando como colaboradores pesquisadores de diversos estados do país e do exterior. Adicionalmente, o NIEP-Marx tem organizado desde palestras e atividades isoladas, até eventos de porte internacional, com destaque para seu encontro anual, batizado de Marx e o Marxismo, realizado regularmente, desde 2007. A Coleção NIEP-Marx é mais um esforço de ampliar o acesso à produção coletiva do Núcleo, criando um novo canal de debates no interior e para além da reflexão marxista atual. Campos do conhecimento e disciplinas acadêmicas – como a economia, a história, a educação, a filosofia, a sociologia e os chamados estudos culturais – estão representados, mas também são transpassados pela perspectiva crítica e totalizante que embala os textos reunidos pela coleção. Da mesma forma, temas clássicos e debates contemporâneos do marxismo – como o trabalho, a crítica da economia política, a ética, a estética, a ontologia e tantos outros – são abordados nestes livros sob a mesma perspectiva. Mais que leitores passivos, a Coleção NIEP-Marx espera encontrar interlocutores ativos para um projeto comum, de crítica teórica e política da sociedade capitalista e de construção coletiva de alternativas, também teóricas e políticas, que nos permitam ir além desse “fundamento miserável” – o “roubo do tempo de trabalho alheio” – que sustenta o mundo das mercadorias em que vivemos.

SOBRE OS AUTORES

  • André Guimarães Augusto é professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx/UFF). Tem artigos e capítulos de livros publicados. Atua na área de metodologia da economia, método em Marx e crítica ao neoliberalismo e à nova direita.

  • Bianca Imbiriba Bonente é professora da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense e membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx/UFF). É autora do livro Desenvolvimento em Marx e na teoria econômica: por uma crítica negativa do desenvolvimento capitalista (2016) e de artigos publicados em periódicos nacionais. Suas atividades de ensino e pesquisa estão voltadas, principalmente, para os seguintes temas: história do pensamento econômico, crítica da economia política, economia do desenvolvimento, teoria social e crítica ontológica.

  • Eduardo Sá Barreto é professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense e membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx/UFF). É autor do livro O capital na estufa: para a crítica da Economia das mudanças climáticas (2018) e de diversos artigos publicados em revistas. Sua pesquisa se concentra nas questões relacionadas à economia política do meio ambiente e à crise estrutural do capitalismo.

  • Hugo F. Corrêa é professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, e membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx/UFF). Foi editor da Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política (SEP) e diretor da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Ciências Econômicas (ANGE). Nos últimos anos tem dedicado seus estudos à crítica da economia política e a temas de história econômica, com particular interesse pelos debates sobre a teoria e a história do imperialismo.

  • João Leonardo Medeiros é professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx/UFF) e da Sociedade Brasileira de Economia Política. É autor do livro A economia diante do horror econômico: uma crítica ontológica dos surtos de altruísmo da ciência econômica e de diversos artigos publicados em revistas e capítulos de livro. Sua pesquisa se ocupa sobretudo dos fundamentos da crítica da economia política de Marx, sobretudo no que se refere ao plano da ontologia da sociedade e da ética.

  • Leonardo Leite é professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ. Pesquisador no Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-Marx/UFF), dedica-se principalmente à compreensão do mercado mundial e do imperialismo a partir da crítica da economia política de Marx. É autor de diversos artigos publicados em revistas científicas e capítulos de livros.

  • Marcelo Dias Carcanholo é professor titular da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense e membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Marx e Marxismo (NIEP-Marx/UFF). Foi presidente da Sociedade Brasileira de Economia Política (SEP) entre 2016 e 2018, e presidente da Sociedade Latino-americana de Economia Política e Pensamento Crítico (SEPLA) entre 2014 e 2016. Participa do Grupo de Trabalho CLACSO Crisis y Economía Mundial (2019-2022). Tem experiência na área de economia, com ênfase em economia política, economia marxista e desenvolvimento econômico, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria do valor, teoria marxista, capitalismo, neoliberalismo, desenvolvimento e América Latina.

  • Paulo Henrique Furtado de Araujo é professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense, membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo (NIEP-MARX/UFF) e coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ontologia Crítica da UFF (GEPOC-UFF). É autor de artigos publicados em periódicos científicos e de capítulo de livros. Sua pesquisa se ocupa principalmente da crítica da economia política de Marx, da teoria crítica do valor, da ontologia do ser social e do conjunto categorial Estado, capital e política.

Produtos em Ofertas